quarta-feira, 10 de abril de 2013

Inflações e Deflações


Criar Compatibilidades

Hoje o meu coração caiu no lancil do passeio;
Exposto aos elementos, uns magalas apanharam-no e gritaram:
 - Olha, um coração!
Um outro mais à frente vociferou:
- Olha, aqui está uma perna!
A história continuaria até se encontrarem enumerados todos os órgãos e membros do corpo humano,
Ergue-te, ó Albatroz, que as tuas faces cronicamente rosadas empalideçam, as tuas sobrancelhas em forma de arco se crispem, os teus olhos a meio termo chispem… As tuas partes e a tua gordura parece estar mal distribuída pelo todo.
Ei-los, levados pela chuva,
Tenho-os visto por aí, desconjuntados, uns sem braços, uns sem pernas, outros sem cabeça;
São tantos que dariam um exército de aleijados – uma brigada do reumático,
Se os juntássemos a todos e formássemos um corpo com as peças uns dos outros – uma perna ali, um coração acolá, um fígado, talvez tivéssemos um de jeito, mas
Tenho-os visto por aí…

Escalada dos Juros

Um cobói disse-me
Que a única ciência que não merece ser estudada
É a química, talvez por demasiado importante,
Its all about chemistry. Apaixonamo-nos, desiludimo-nos e
Com a certeza do calendário voltamos à carga. É a crónica do mundo.
Sofremos todos dessa.
Os que se terão perdido não passam de vagos escolhos.
Mas a fome é real como uma besta assanhada arranhando-nos
As paredes do estômago.
Está é a vida após a vida, a história após a história.
Do que nos queixamos afinal?

Skills Match

Uma vez na Lagoa de Merda,
O meu coração contemplou o mundo:
- Vai e conhece o Mundo, disse-lhe eu;
- Ai o mundo, disse ele. Não existem leis, apenas regras. Está tudo visto e tudo estudado. Este é, portanto, o fim.
- Que maravilhosa unidade há no mundo, concordei;

Gerar Sinergias
Depois de bem amassado,
Seguiu pelo esgoto até encontrar o
Lago onde desaguam todos os dejectos da cidade – uma Veneza de merda, portanto;

A minha mãe faleceu ontem, por inanição,
 e o Ministro da Solidariedade e segurança Social congratulou-se
à hora do telejornal pelo corte de dois milhões na despesa.

Entre todos os defeitos que um homem pode ter,
O único que nunca lhe perdoarão é ser pobre.

Refundação do Estado

O meu irmão fugiu ontem para o Brasil -
Que escolha difícil a dele… Viver num
País medíocre e maldoso ou ser
Cidadão de segunda no mundo civilizado.
E caramba! Onde quer que vamos
só nos aparecem malucos.
Dizem que a vida por lá é difícil.
Refundaram uns contentores para os
Imigrantes dormirem.
Dizem também que não há vida para além da
Da esperança. Estão enganados. Mesmo em decomposição
Os corpos continuam a comer, foder, defecar;
As patranhas que não poderia sonhar sobre os mais ilustres –
As falcatruas – mas a verdade é insuportável, Deus meu. Depois,
A humanidade já está cheia de ditos espirituosos espalhados
Por obscuros assistentes administrativos.
Quem haveria de adivinhar que até nas
Estepes geladas da Mongólia apareceria um
Empreendedor para evangelizar?

2 comentários:

  1. Muito bem, caro Colima.
    E nós por cá, em alternativa aos mercados de capitais investimos em títulos poéticos.
    :)

    ResponderEliminar